Acesse também:

Facebook Twitter Orkut

Hoje é 19 de Agosto de 2019 - 01:33h

Cadernos
Feiras e Exposições
voltar

A tetracampeã mundial de Três Tambores pela WPRCA, Billie McBride

O nome de Billie Hinson McBride foi anunciado para o Hall Of Fame quase um ano depois de sua morte, em maio de 2017, aos 90 anos

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/06/10/a-tetracampea-mundial-de-tres-tambores-pela-wprca-billie-mcbride.html#.XP-UlP6nfcc

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/06/10/a-tetracampea-mundial-de-tres-tambores-pela-wprca-billie-mcbride.html#.XP-UlP6nfcc

Em 2018  foi a segunda vez na história do ProRodeo Hall Of Fame que atletas de Três Tambores da Women's Professional Rodeo Association (WPRA) foram nominados. Billie McBride, tetracampeã mundial, entrou nessa segunda lista junto a também tetracampeã mundial Kristie Peterson e o cavalo dela, French Flash Hawk 'Bozo'.

O nome de Billie Hinson McBride foi anunciado para o Hall Of Fame quase um ano depois de sua morte, em maio de 2017, aos 90 anos. A primeira vez que viu uma prova de três tambores, foi no rodeio de Belton, Texas, e Billie tinha dez anos de idade, em 1937. Decidiu naquele momento que seria o caminho que ia seguir na vida.

Pouco mais de dez anos depois da primeira vez que tomou conhecimento da modalidade, foi membro-fundador da Girls Rodeo Association (GRA), entidade formada em sua cidade natal, San Angelo, Texas. Foi uma das primeiras com status de 'super astro' desse esporte. Além dos feitos, conseguia viver quase exclusivamente como competidora de três tambores. Mesmo que as premiações na época não fossem altas.

A GRA foi formada por mulheres que, frequentemente, competiam em múltiplos eventos, como laço e montarias em cavalo. Embora tenha tentado laçar por um breve tempo, McBride era fera mesmo no tambor, dominando a modalidade pela GRA no final dos anos 50. Ela foi quase imbatível por um período, e também se destacou na luta pelos direitos das competidoras.

Em 1954, ficou com o segundo lugar no mundial da WPRA. Mas, nos quatro anos seguintes, de 1955 a 1958, ela foi campeã mundial do circuito. Montava sua égua Zombie. Esse feito foi um recorde que demorou a ser quebrado. Durou três décadas, até que Charmayne James ganhou seu quinto título em 1988. Em 1955, McBride e Zombie fizeram 99 passadas e só derrubaram um tambor.

Como era comum, e é até hoje entre competidoras, ela assumiu cargos de liderança na GRA, atuando 13 anos como diretora, ocupando os cargos de presidente, vice-presidente e secretária. Em seu papel como presidente, McBride liderou um esforço para incluir a modalidade na recém-formada, na época, National Finals Rodeo.

Ela não teve sucesso nessa empreitada com a Rodeo Cowboys Association, mas conseguiu que as mulheres pudessem fazer sua final mundial junto com as finais nacionais de steer roping. Dessa forma, abriu caminho para que, oito anos depois, elas ingressassem na NFR.

Nascida em 4 de março de 1927, em Copperas Cove, Texas, McBride trabalhou como costureira na ML Leddy's Boots, em San Angelo, por 34 anos. Mesmo durante seus anos de rodeio. Morreu em 10 de maio de 2017, de um acidente vascular cerebral, em San Angelo, Texas. Ela, seu marido Wilson, sua filha Meek, e três irmãs de Billie fazem parte do Hall da Fama do Cowboys do Texas Rodeo. McBride também está consagrada no National Cowgirl Hall of Fame.

Fonte: Viola Show, com informações do Cavalus

A tetracampeã mundial de Três Tambores pela WPRCA, Billie McBride

11/06/2019

Em 2018  foi a segunda vez na história do ProRodeo Hall Of Fame que atletas de Três Tambores da Women's Professional Rodeo Association (WPRA) foram nominados. Billie McBride, tetracampeã mundial, entrou nessa segunda lista junto a também tetracampeã mundial Kristie Peterson e o cavalo dela, French Flash Hawk 'Bozo'.

O nome de Billie Hinson McBride foi anunciado para o Hall Of Fame quase um ano depois de sua morte, em maio de 2017, aos 90 anos. A primeira vez que viu uma prova de três tambores, foi no rodeio de Belton, Texas, e Billie tinha dez anos de idade, em 1937. Decidiu naquele momento que seria o caminho que ia seguir na vida.

Pouco mais de dez anos depois da primeira vez que tomou conhecimento da modalidade, foi membro-fundador da Girls Rodeo Association (GRA), entidade formada em sua cidade natal, San Angelo, Texas. Foi uma das primeiras com status de 'super astro' desse esporte. Além dos feitos, conseguia viver quase exclusivamente como competidora de três tambores. Mesmo que as premiações na época não fossem altas.

A GRA foi formada por mulheres que, frequentemente, competiam em múltiplos eventos, como laço e montarias em cavalo. Embora tenha tentado laçar por um breve tempo, McBride era fera mesmo no tambor, dominando a modalidade pela GRA no final dos anos 50. Ela foi quase imbatível por um período, e também se destacou na luta pelos direitos das competidoras.

Em 1954, ficou com o segundo lugar no mundial da WPRA. Mas, nos quatro anos seguintes, de 1955 a 1958, ela foi campeã mundial do circuito. Montava sua égua Zombie. Esse feito foi um recorde que demorou a ser quebrado. Durou três décadas, até que Charmayne James ganhou seu quinto título em 1988. Em 1955, McBride e Zombie fizeram 99 passadas e só derrubaram um tambor.

Como era comum, e é até hoje entre competidoras, ela assumiu cargos de liderança na GRA, atuando 13 anos como diretora, ocupando os cargos de presidente, vice-presidente e secretária. Em seu papel como presidente, McBride liderou um esforço para incluir a modalidade na recém-formada, na época, National Finals Rodeo.

Ela não teve sucesso nessa empreitada com a Rodeo Cowboys Association, mas conseguiu que as mulheres pudessem fazer sua final mundial junto com as finais nacionais de steer roping. Dessa forma, abriu caminho para que, oito anos depois, elas ingressassem na NFR.

Nascida em 4 de março de 1927, em Copperas Cove, Texas, McBride trabalhou como costureira na ML Leddy's Boots, em San Angelo, por 34 anos. Mesmo durante seus anos de rodeio. Morreu em 10 de maio de 2017, de um acidente vascular cerebral, em San Angelo, Texas. Ela, seu marido Wilson, sua filha Meek, e três irmãs de Billie fazem parte do Hall da Fama do Cowboys do Texas Rodeo. McBride também está consagrada no National Cowgirl Hall of Fame.

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/06/10/a-tetracampea-mundial-de-tres-tambores-pela-wprca-billie-mcbride.html#.XP-UlP6nfcc

Jornal do Rodeio

Acesse também:

Facebook Orkut Twitter